Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Bem vindo ao Nortão News, Juara 01 de Outubro de 2020
Quem Somos   I   Contato

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

  INÍCIO  
  NOTÍCIAS  
  EVENTOS  
  VÍDEOS  
  ARTIGOS  
  FAVORITOS  
 Carne Bovina.
14 de Janeiro, 2020 - 15:06
Carne bovina: mercado internacional continua favorável ao Brasil em 2020, diz ABRAFRIGO
     

 Com a China importando 120 mil toneladas a mais do que em 2018 e pagando os melhores preços do mercado internacional para o produto brasileiro – na média US$ 4.511 por tonelada no ano passado contra US$ 4.075 por tonelada em 2018, as exportações de carne bovina consolidadas (in natura + processadas) bateram todos os seus recordes históricos e prometem repetir o feito em 2020, segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos (ABRAFRIGO), que espera um crescimento de pelo menos 10% neste ano (em 2019 o crescimento foi de 13 % no volume e de 16% na receita).


Segundo a ABRAFRIGO, que compilou as informações da Secex do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as exportações alcançaram 1 milhão 856 toneladas em volume e de US$ 7, 575 bilhões na receita, batendo o recorde de 2014 quando a receita atingiu a US$ 7,2 bilhões e a movimentação 1 milhão 560 mil toneladas e que era considerado o melhor ano da história da movimentação de carne bovina brasileira. Com a crise provocada pela peste suína africana, a China comprou, através da cidade estado de Hong Kong e do continente, o total de 837.580 toneladas no ano passado, contra 717.492 toneladas em 2018, o que significou 44,1% das exportações do país.


Na receita a participação saltou de 44,7% em 2018 para perto de 50% em 2019, saindo de US$ 2,924 bilhões para US$ 3,77 bilhões. Depois da China, o Egito foi quem mais importou a carne bovina brasileira, com 164.175 toneledas (-9,3%). Na terceira posição ficou o Chile, com 108.606 toneladas (-5,5%); na quarta os Emirados Árabes com 71.695 toneladas (+94,4%) e na quinta a Rússia, com 69.127 toneladas (+821%). O Irã ocupou a sexta posição, com 63.256 toneladas movimentadas (-24,7%).


Por estado, São Paulo foi quem mais movimentou o produto para o exterior, com 21,9% do total, seguido do Mato Grosso, com 19,7% e de Goiás, com 13,7%. Mato Grosso do Sul veio em seguida com 11% e Rondônia ficou em quinto com 10%. Para 2020, a ABRAFRIGO acredita que as condições favoráveis ao Brasil no mercado internacional devem permanecer, com a China mantendo um patamar elevado de importações, e agora com um novo componente que são as queimadas que atingem Austrália, um dos maiores players do setor no mundo, e ainda com as atraentes cotações do dólar no Brasil para os exportadores.

Fonte: P do A.
* O NortãoNews não se responsabiliza por comentários postados abaixo!
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
 Mais Notícias
25/09/2020
24/09/2020
23/09/2020
21/09/2020
 menos   1   2   3   4   5   6   7   mais 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 Enquete

 Artigos
  INÍCIO  
 
  NOTÍCIAS  
 
  EVENTOS  
 
  VÍDEOS  
 
  ARTIGOS  
 
  FAVORITOS  
© 2020 - Todos direitos reservados