Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Bem vindo ao Nortão News, Juara 25 de Junho de 2019
Quem Somos   I   Contato
  INÍCIO  
  NOTÍCIAS  
  EVENTOS  
  VÍDEOS  
  ARTIGOS  
  FAVORITOS  
 Soja e o Mercado.
4 de Junho, 2019 - 11:31
Soja segue avançando em Chicago nesta 3ª com plantio bem atrasado nos EUA
     

 Os preços da soja sobem em Chicago nesta terça-feira (4). Os futuros da commodity têm altas de pouco mais de 8 pontos nos principais contratos, por volta de 8h10 (horário de Brasília), com o julho valendo US$ 8,87 e o agosto, US$ 8,94 por bushel.


O mercado avança ainda refletindo os problemas com o clima nos Estados Unidos. O excesso de chuvas mantém o plantio atrasado no país e as condições para a continuidade dos trabalhos de campo não são favoráveis neste momento.


Até o último domingo (2), os EUA registraram uma evolução na semeadura de 29% para 39% até este domingo. O número ficou dentro do intervalo esperado de 39% a 44% com o qual o mercado trabalhava. Ainda assim, segue registrando o atraso. Em 2018, nessa mesma época, eram 86% e a média para o período é de 79%.


Assim como no milho, Illinois e Indiana chamam muita atenção, assim como Iowa, que tem somente 41% do plantio concluído, contra 91% do mesmo período de 2018. No Missouri, apenas 18% da área da oleaginosa já foi semeada contra 84% do ano passado e 63% de média dos últimos cinco anos.


Os traders também mantêm-se atentos às questões envolvendo o conflito comercial entre China e Estados Unidos - já que as tensões têm se agravado entre os dois países - porém, este passou a ser um fator secundário para o mercado diante do atual cenário da safra 2019/20 dos EUA.


Veja como fechou o mercado nesta segunda-feira:


Soja fecha estável em Chicago nesta 2ª feira e preços recuam no mercado brasileiro


Os preços da soja fecharam o pregão desta segunda-feira (3) com estabilidade na Bolsa de Chicago. As cotações terminaram o dia subindo pouco mais de 1 ponto nos principais contratos e, ao longo do dia, os ganhos foram um pouco mais expressivos. O julho foi a US$ 8,79 e o agosto a US$ 8,85 por bushel.


O mercado segue trabalhando muito atento à todas as questões climáticas dos Estados Unidos e iniciou a semana à espera de novas informações sobre a safra norte-americana 2019/20.


As condições de clima continuam bastante adversas para o progresso do plantio no Meio-Oeste americano, apesar das chuvas mais leves do que o previsto do final de semana e da ligeira janela que se abre para o produtores neste início de semana.


Afinal, mais chuvas fortes estão previstas para voltar ao Corn Belt a partir desta quarta-feira e, para o milho, por exemplo, a janela de plantio já foi encerrada no país. O mapa atualizado nesta segunda pelo NOAA, o serviço oficial de clima dos EUA, mostra elevados acumulados - de mais de 50 mm - ainda em estados como Illinois, Missouri, Indiana, partes de Ohio, todos no coração do cinturão.


Diante destas condições e de um atraso que é considerado o pior da história dos EUA sobre o plantio dos grãos, os produtores norte-americanos enfrentam um período de decisões sobre a continuidade do plantio do milho, a migração para a soja ou a adesão ao programa do Prevent Plant.


No entanto, o atual cenário parece não estimular essa mudança, como explica o analista da Agrinvest Commodities, Marcos Araújo.


"Ao fazer a conta do seguro do Prevent Plant vale muito mais a pena o produtor fazer nesse momento - com a atual produtividade esperada da soja e os preços futuros em Chicago - não vai valer a pena ele nem plantar soja. Vale mais ele acionar o seguro que vai receber mais do que plantando a soja. Então, os preços em Chicago desincentivam os produtores a migrarem, deixarem de receber o Prevent Plant, para que ele arrisque plantando", detalha o especialista.


A foto abaixo foi postada por Randy Price, produtor no centro norte do Missouri. "É assim que estão nossos campos de milho aqui em Livingston County, Missouri", diz a legenda. A imagem é de 27 de maio e retrata uma cena comum em vários estados.


EUA-Missouri-chuvas

Foto: Randy Price, no Twitter - Centro-norte do Missouri


No cenário político e macroeconômico, atenção à guerra comercial, já que começam a valer desde sábado (1) as tarifas de 25% dos EUA sobre produtos da China. A nação asiática já está retaliando.


EMBARQUES SEMANAIS


Também partindo do USDA, o mercado esteve atento ainda aos números dos embarques semanais de soja dos EUA, os quais ficaram dentro das expectativas e pouco impacto tiveram sobre os preços nesta segunda-feira.


Na semana encerrada em 30 de maio, os americanos embarcaram 498,771 mil toneladas da oleaginosa, contra projeções de 400 mil a 650 mil toneladas. No acumulado da temporada, o país já têm embarcadas 34.221,240 milhões de toneladas, contra mais de 46 milhões do mesmo período do ano passado.


PREÇOS NO BRASIL


A estabilidade em Chicago veio no mesmo dia em que o dólar registrou uma baixa de quase 1% frente ao real e pressionou as cotações no mercado brasileiro. Assim, a semana começou com as praças de comercialização do interior do Brasil com baixas de até 2%, como foi o caso de Pato Branco, no Paraná. Por lá, a saca terminou o dia com R$ 71,50.


As baixas foram generalizadas no interior, e também foram registradas nos portos do Brasil. Em Paranaguá, R$ 82,00 no spot e R$ 83,00 para o mês seguinte, com perdas de 0,97% e 0,60%. Em Rio Grande, perdas de 0,61% em ambos os casos, com os indicativos finais em R$ 81,00 e R$ 81,50 por saca.


 

Fonte: P do A.
* O NortãoNews não se responsabiliza por comentários postados abaixo!
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
 Mais Notícias
11/06/2019
10/06/2019
09/06/2019
08/06/2019
 menos   2   3   4   5   6   7   8   mais 
 Enquete

 Artigos
  INÍCIO  
 
  NOTÍCIAS  
 
  EVENTOS  
 
  VÍDEOS  
 
  ARTIGOS  
 
  FAVORITOS  
© 2019 - Todos direitos reservados