Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Bem vindo ao Nortão News, Juara 15 de Dezembro de 2018
Quem Somos   I   Contato
  INÍCIO  
  NOTÍCIAS  
  EVENTOS  
  VÍDEOS  
  ARTIGOS  
  FAVORITOS  
 Milho.
16 de Abril, 2018 - 13:56
Milho: De olho na safra dos EUA, mercado inicia a semana com ligeiras quedas, próximo da estabilidade na CBOT
     

 Na Bolsa de Chicago (CBOT), os futuros do milho iniciaram a semana com ligeiras quedas. Às 8h44 (horário de Brasília), as principais posições do cereal exibiam desvalorizações entre 1,25 e 1,75 pontos. O vencimento maio/18 era cotado a US$ 3,84 por bushel, enquanto o julho/18 era negociado a US$ 3,93 por bushel. As cotações ainda acompanham as quedas registradas nos futuros do trigo, de acordo com informações das agências internacionais. Ainda assim, o foco dos participantes do mercado permanece na nova safra nos Estados Unidos.


No final de semana, nevascas foram registradas em muitas regiões no país. "O radar da noite de domingo mostra que a nevasca ainda atingia o cinturão de milho, enquanto fortes chuvas já haviam atravessado a região", destacou o WxRisk.com, ao Agrimoney.com.


Ainda hoje, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) reporta seu novo boletim de embarques semanais. O relatório é um importante indicador de demanda e pode influenciar o andamento das negociações no mercado internacional.


Veja como fechou o mercado na última sexta-feira:


Milho: Com foco no clima e na safra americana, mercado encerra semana com leves quedas na CBOT


Na Bolsa de Chicago (CBOT), os futuros do milho acumularam ligeiras desvalorizações na semana. As principais posições da commodity recuaram entre 0,42% e 0,63%, de acordo com levantamento realizado pelo economista do Notícias Agrícolas, André Lopes.


No pregão desta sexta-feira (13), as principais posições do cereal exibiram perdas de mais de 2 pontos. O vencimento maio/18 era cotado a US$ 3,86 por bushel, enquanto o julho/18 operava a US$ 3,94 por bushel. O setembro/18 encerrou o dia a US$ 4,01 por bushel.


De acordo com informações da Reuters internacional, as cotações acompanharam as perdas mais fortes registradas nos preços do trigo. Por sua vez, os futuros do trigo caíram entre 8 e 9 pontos nesta sexta-feira diante da perspectiva de clima melhor nos Estados Unidos.


"A fraqueza do trigo pesou sobre os valores do milho, já que há uma correlação entre os grãos. Isso apesar das perspectivas de clima mais frio e úmido nos EUA não serem benéficas para o plantio do grão", reportou o Agrimoney.com.


Inclusive esse é o foco do mercado a partir de agora, o início do plantio da nova safra nos EUA. Projeções reportadas ao longo dessa semana indicam que a semeadura já está completa em 2% da área prevista para essa temporada no país.


"Ainda assim, o mercado está mostrando pouca preocupação com o clima no cinturão de produção de milho no país e como isso poderia afetar a semeadura esse ano", disse Karl Setzer, da MaxYield Co-operative ao Agrimoney.com.


Embora as previsões se confirmem, "qualquer reação de alta será adiada. Isso por conta da confiança na capacidade dos agricultores americanos em semear grandes áreas em um pequeno espaço de tempo", completa Setzer.


Mercado brasileiro


Já no mercado doméstico, a semana foi de ligeiras movimentações nos preços do milho, ainda conforme levantamento do Notícias Agrícolas. As praças de Luís Eduardo Magalhães (BA), Jataí e Rio Verde, ambas no estado de Goiás, subiram 6,67%, com a saca do cereal a R$ 32,00.


Em Rio do Sul (SC), a saca do grão apresentou ganho de 4,17% e terminou a semana a R$ 37,50. Na região de Campo Novo do Parecis (MT), a alta foi de 2,13% e a saca do milho a R$ 24,00. No Porto de Paranaguá, a saca subiu 1,39% e encerrou a semana a R$ 36,50.


Em contrapartida, em Brasília, a saca de milho caiu 6,06% e finalizou a sexta-feira a R$ 31,00. Na localidade de Ponta Grossa (PR), a queda ficou em 5,00%, com a saca a R$ 38,00. Em Campinas (SP), a saca recuou 2,40% e fechou a semana a R$ 40,60.


Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o analista de mercado da INTL FCStone, João Macedo, destacou que "os compradores seguem com dificuldade de obter milho no mercado físico. Os produtores estão reticentes em realizar vendas por conta da incerteza em relação à safrinha".


Conforme levantamento da AgRural, a colheita de milho verão chegou a 72% da área plantada no Centro-Sul do país até a última quinta-feira (12). O número representa um avanço de 12% na semana, porém, ainda está abaixo do registrado no mesmo período do ano anterior, de 78%.


Ainda nesta sexta-feira, a Safras & Mercado estimou a safra brasileira em 88,9 milhões de toneladas na temporada 2017/18. O volume representa queda de 17,6% em relação ao volume colhido no ciclo passado, de 107,9 milhões de toneladas.

Fonte: P do A.
* O NortãoNews não se responsabiliza por comentários postados abaixo!
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
 Mais Notícias
10/12/2018
09/12/2018
08/12/2018
07/12/2018
 menos   1   2   3   4   5   6   7   mais 
 Enquete

 Artigos
  INÍCIO  
 
  NOTÍCIAS  
 
  EVENTOS  
 
  VÍDEOS  
 
  ARTIGOS  
 
  FAVORITOS  
© 2018 - Todos direitos reservados